sábado , setembro 21 2019
Inicio / Saúde / Antidepressivos auxiliam no tratamento da insônia

Antidepressivos auxiliam no tratamento da insônia

Antidepressivos: A insônia crônica, caracterizada por tirar ou atrasar o sono mais de três vezes na semana e que dura mais do que três meses. Para tratá-la necessitamos de um trabalho lento e, normalmente, é acompanhado de medicações, e entre eles os antidepressivos.

A abordagem com antidepressivos pode não ser a mais indicada, principalmente quando o usuário os toma sem indicação médica e por muito tempo, o que acontece na maior parte dos casos. Muitos profissionais dizem, ainda, que o tratamento para a insônia não necessita de nenhum tipo de medicamento.

Antidepressivos auxiliam no tratamento da insônia?

Os remédios antidepressivos para a insônia

Os remédios mais prescritos e indicados para a insônia hoje são os hipnóticos, que são responsáveis por induzir o sono e o estado de sedação do corpo, um exemplo são os benzodiazepínicos e aqueles que são compostos por substâncias conhecidas como drogas Z. Esses medicamentos não devem ser usados por um longo período de tempo, cerca de 30 dias é o suficiente para o tratamento.

O principal motivo para esse curto período de tratamento é a dependência e a tolerância causadas pelo uso dos remédios, que precisariam ter sua dose sempre aumentada para continuar surtindo efeitos. Ao longo prazo, elas podem aumentar o risco do paciente ter um infarto ou um AVC.

No caso dos antidepressivos como a amitriptilina e a trazodona, que atuam diretamente sobre os neurotransmissores e são prescritos como uma alternativa aos hipnóticos, eles podem ser uma opção complicada por não serem oficialmente indicados para o tratamento da insônia. A eficácia e seguranças dos antidepressivos, por enquanto, foram comprovados apenas em pacientes que sofriam de depressão.

Antidepressivos auxiliam no tratamento da insônia?

Como acabar com a insônia

A maior parte dos casos de insônia possui ligação com os hábitos do paciente, que normalmente prejudicam o descanso. Uma das terapias mais usadas por especialistas é a cognitivo-comportamental, considerada um método muito eficaz para corrigir comportamentos relacionados ao sono e que costuma resolver o problema do paciente em poucas sessões. O que dificulta, porém, é o fato de que existem poucos especialistas que usam essa abordagem.

Identificar a causa da insônia é muito importante, ela pode ocorrer devido à doenças sistêmicas, transtornos psiquiátricos como a ansiedade e depressão ou, até mesmo, o uso de medicações como os antidepressivos. Mas, normalmente, a causa está relacionada aos hábitos cotidianos.

Antidepressivos auxiliam no tratamento da insônia?

Conheça algumas dicas para dormir melhor

1 – Acorde sempre no mesmo horário, assim, seu corpo sentirá sono ao final do dia.

2 – Evite o uso do celular e de dispositivos eletrônicos, como a televisão, próximo ao horário de dormir. Tente deixá-los longe da cama.

3 – Deixe de checar as redes sociais para dedicar-se a uma leitura, dê preferência para luzes suaves, como a amarelada ou alaranjada.

4 – Se você não sentir sono, pode tentar levantar da cama e fazer uma atividade relaxante, sem se forçar a dormir.

5 – A meditação pode ser uma grande aliada, até mesmo as meditações curtas podem surtir efeitos na regulação do sono.

6 – Durma em um quarto silencioso e escuro. Caso não seja possível, use protetores de ouvidos ou tapa-olhos para ter um momento calmo.

7 – Tente evitar substâncias que podem estimular a agitação, como cafeína, energéticos, refrigerantes e a nicotina.

8 – O sedentarismo está fortemente ligado à insônia, por isso busque praticar atividades físicas. Busque praticá-las durante o dia, muitas vezes o exercício à noite pode estimular ainda mais o corpo.

Veja mais artigos na nossa pagina inicial do Passo a Passo.

Sobre Danubia Schneider

Veja isto!

Receitas com Gengibre para Enxaqueca

Receitas com Gengibre para Enxaqueca: alívio para a dor

Receitas com Gengibre para Enxaqueca: Você sabia que o gengibre pode te ajudar a aliviar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *